Mostrando postagens com marcador #Be-happy!. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #Be-happy!. Mostrar todas as postagens

12 outubro 2017

Semana 32: Ainda quero aprender:


TOCAR VIOLÃO


Amo shows no estilo "voz&violão".Ameacei algumas dedilhadas... Até que o semestre começou a apertar e o violão está parado aqui em casa até hoje...

CANTAR


Eu fiz algumas aulas de Técnica Vocal mas acho que cantar mesmo tem que ter dom... Canto com a minha voz de taquara no chuveiro mesmo.
APRENDER A FAZER BOLOS


Em um dia desses, Eu estava zapeando os canais da TV aberta encontrei o programa Bake Off Brasil -mão na massa- e fiquei com invejinha de querer fazer aqueles bolos e doces bem elaborados...
ESCREVER 


Claro que sei escrever... Mas gostaria de fazer algumas aulas de "escrita criativa" eu até perdi a vergonha em escrever aqui no blog e escrevi algumas coisas bacanas que podem ser encontrado nos "Arquivos" desse humilde blog hehehe

FALAR FRANCÊS




Eu sempre tive vontade de fazer aulas de francês, mas no ensino médio só ofereciam inglês/espanhol e essas aulas não foram o suficientes para que eu pudesse me virar bem nem inglês e nem espanhol.


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 
 (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5

16 setembro 2017

#01 Entrar na academia (em andamento...)


Eu conheço o termo Fisioterapia desde que me conheço por gente, graças a "uma deformidade que afeta a coluna vertebral que pode assumir patologicamente uma posição de desalinhamento, contorcendo-se em seu próprio eixo, inclinando-se para frente ou para trás e para os lados; ou seja, em um plano tridimensional" conhecida como Escoliose

Essa deformidade é tratada conservadoramente com: exercícios específicos de Fisioterapia; além da fisioterapia, faz-se necessário o uso de coletes. E se a deformidade agravar-se o tratamento pode ser cirúrgico pois, dependendo da localização da curva, pode haver compressão de órgãos vitais, como os pulmões e o coração... Até os meus 13 anos, eu fui presenteada com Fisioterapia, coletes e tratamento cirúrgico.

Quando eu tinha 10 anos eu intercalei a fisioterapia com aulas de natação. Eu aprendi a nadar nesse época com aulas três vezes na semana nunca tive medo de água ou algo parecido, Porém, nadar é o exercício físico mais completo melhorando a minha postura por causa da coluna e a minha respiração na época.


Por causa dos estudos, emprego e faculdade ( e um pouco de preguiça...) eu virei uma pessoa totalmente sedentária e assim fiquei por mais de dez anos. 

☑ Entrar na academia (em andamento...)

Ontem, eu fui na academia que fica próximo a minha casa (isso é diferencial muito importante) e fiz uma aula experimental vou malhar 3X na semana. Os exercicios são monitorados por um personal traineer e os treinos parecem não ter monotonia E ainda oferecem os exames necessários para acompanhar nosso desempenho.

No primeiro dia... os exercicios fisicos foram mais leves por conta do meu sedentarismo. Porém, foram intensos de acordo com as dores musculares no dia seguinte.

O #01 é que pretendo escrever com frequencia sobre esse "Mundinho de Academia" e sobre os meus exercicios fisicos.










Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

22 junho 2017

Semana 21: Meus piores defeitos.

 Projeto 52X5 . Explico melhor o projeto nesse post aqui.

1. Não saber dizer não

Eu não sei dizer não! E quando eu digo "não" parece que fico em falta com as pessoas... e sempre acabo me metendo em confusão por isso.

2. Antissocial

Já fui muito "social" apesar da minha dificuldade de dar "Oi"e cumprimentar mas, ultimamente criei um asco de alguns tipos de pessoas que até o contato físico está difícil de lidar.

3. Mal-humorada

Meu humor muda com uma frequência impressionante. Não sou uma pessoa "rabugenta" rio de piadas idiotas e me divirto com muito pouco. Meu senso de humor só será afetado pela famosa TPM de todos os meses... Quando as pessoas são extremamente grosseiras costumo ficar com péssimo humor.

4. Teimosa

Sou teimosa, a ponto de não discutir com as pessoas que pensam ao contrário... Se eu estiver certa/errada ninguém precisa (nem quero...) que gastem saliva tentando provar o contrário.

5. Ansiedade

o primeiro é o que mais me afeta, embora seja de fases, em algumas épocas estou muito ansiosa com tudo e outra nem tanto…


ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):

19 junho 2017

Como eu aprendi a andar de bicicleta aos 31 anos

Quando não perdemos os nossos medos quando somos crianças viramos adultos encantados... 

Assim era o meu medo de andar de bicicleta.

Quem acompanha o blog já deve ter lido algo sobre "Eu nunca andei de bicicleta..." até o dia 14 de junho de 2017. Eu aprendi a andar de bicicleta! Pois bem, eu sou praticamente uma ciclista desde o começo desse mês :)

A responsável por isso, foi a minha mãe que chegou aqui em casa com uma bicicleta (adaptada com rodinhas). Então, pensei: Não deve ser tão difícil... Naquela mesma hora, eu subi na minha bicicleta e dei as minhas primeiras pedaladas no quintal de casa. Foi amor nas primeiras pedaladas! É indescritível a sensação de vento no rosto.


No final de semana, eu e minha mãe colocamos a Bicicleta dentro do carro e fomos até a Beira-Mar. O objetivo, era estar cada vez mais segura pedalando a minha bicicleta em um lugar mais apropriado (ciclovia). Mais do que aprender a andar de bicicleta, eu ganhei um hobbie novo, uma atividade física. A minha próxima aventura é sair para o transito e usar bike como transporte regular.

Nesses dias de ciclista, eu aprendi que: "superação" é o meu nome do meio; Que nunca é tarde para aprender coisas novas; que a melhor endorfina é a que você adquire ao ar livre e que uma cidade com menos trânsito e mais qualidade de vida é possível.




ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):


07 junho 2017

Quando eu comecei a escrever?


Quando eu comecei a escrever sobre os meus hábitos de leitura... lembrei-me qu foi nessa mesma época, que eu fui alfabetizada com 7 anos eu comecei a escrever e fui uma das primeiras crianças da classe que conseguia juntar as letrinhas e formular palavras. Naquela época, eu ganhei um caderninho decorado que eu preenchia escrevendo o meu nome, o nome dos meus pais, os nomes dos meus parentes e o no nome do meu bichinho de estimação da época que era uma cachorrinha que se chamava Xinoca.

Na escola, os professores do ensino fundamental nos davam temas para escrevermos uma história. Anos mais tardes, os professores nomearam essa atividade como Redação e começaram a elogiar os meus textos. Foi assim que eu virei uma pessoa que escreve. Porém, criticavam a minha letra que era feia e as palavras tornavam-se indecifráveis... Eu estudava em uma escola onde o contra-turno se chamava Reforço escolar que funcionava no período matutino no máximo 3x por semana o exercício era escrever as minhas letras indecifráveis em um caderno de caligrafia.

Quando eu estava na 5° série do ensino fundamental eu fui transferida para uma escola particular... Além das apostilas do Positivo (bimestres) ganhávamos uma agenda com o slogan da escola. Nos recreios, eu adorava escrever sobre o meu dia-a-dia e copiar as musicas da dupla S&J e colar os meus adesivos que era a sensação da época... 

Um dia, quando eu estava escrevendo na minha agenda... Eu lembro que eu escrevia o fato de estar odiando a escola e as chacotas que eu sofria por causa das outras alunas... O meu texto foi censurado! Sim, algumas alunas falaram para a orientadora que eu estava escrevendo o nome das alunas em uma "lista-negra". A orientadora confiscou a minha agenda (morri de vergonha...) procurando a tal lista-negra e óbvio que era mentira. E desde esse dia, eu não escrevi mais nada naquela agenda. Nem em outras agendas escolares.... 
Anos mais tarde, eu ganhei o meu primeiro computador (semi-novo) como presente de aniversário de 15 anos. Naquela época, o computador tinha somente três joguinhos: o "paint" para desenhar e o Word 95 para escrever... Sem internet discada. Eu lembro da minha emoção quando eu criei a primeira pasta com o meu nome no computador com os meus escritos... Principalmente, eu não precisava sentir vergonha da minha letra. A coisa que eu mais gostava de fazer no computador além de escrever, era testar as diferentes tipos de fontes no Word.

Há primeira vez que ouvi falar sobre Blog ou algo parecido foi em 2002. Uma colega do grupo de jovens tinha um site pessoal (luxo!!!) que era muito parecido com o formato dos blogs pessoais dos dias de hoje... Eu comecei a escrever na internet em 2004, numa plataforma para jornalistas que era bastante precária, a linha editorial desde o meu primeiro blog é não-ter-linha-editorial e o meu principal tema é " eu e a minha bolha...". Escrevo sobre as minhas opiniões; sobre musicas, livros e atualidades. é um Blog pessoal comum diante tantos outros blogs: literários, crônicas, modas, decoração... 

Eu sempre me pergunto Porque eu escrevo? sempre lembro-me de um trecho da Clarice Lispector "Enquanto eu tiver perguntas e não houver resposta continuarei a escrever.". Acredito que essa minha ânsia de espremer meus sentimentos em palavras, esta no jogo de perguntas/respostas ao longo dos acontecimentos da vida... Eu escrevo por necessidade! Eu preciso escrever para espantar os meus "demônios anteriores..." preciso "arquivar", momentos e histórias para não esquecer... Preciso re-lêr essas postagens arquivadas para que eu possa me sinta melhor, por ter vivido esses momentos descritos e principalmente de ter superado esses momentos de alguma forma.

Esse meu blog atual Lado Milla veio para abrir um novo ciclo! E acabou tornando-se um espaço que eu sinto-me a vontade para escrever sobre o meu dia-a-dia e sobre os assuntos do cotidiano casa/faculdade/trabalho e sobre os meus hobbies; como fotografia, filmes, livros, musicas, séries... 

Nesse novo ciclo, eu conheci outras pessoas-que-escreviam-na-internet e os seus blogs tinham a mesma linha editorial "elas e suas bolhas..." era uma delicia "invadir " o blog dessas pessoas e se deparar com uma crônica muito engraçada de como foi perder pela milésima vez o ônibus naquela semana de provas da faculdade. #quem-nunca?! Hoje fui pesquisar "Minha lista de blogs" e pude verificar que a maioria dos blogs estão desatualizados, abandonados e excluídos...

A maioria dessas blogueiras que "migraram" para o newsletter acabam buscando muito daquilo que a blogosfera não lhe ofereciam mais... Foram poucas as blogueiras que manteram o blog juntamente com as newsletter e outras blogueiras abandonaram o blog para dedicar-se somente a newsletter ... Enquanto leitora, eu fui assinando os feed´s até ficar com a minha caixa de e-mail cheia sem conseguir ler a metade. Desisti da maioria dos feed´s que assinei :(

Escrever-na-internet é um grito no escuro... Porém, necessário. Sou "gente que escreve" mas, confesso que abrir um documento novo no word é sempre "assustador" tenho necessidades de escrever... Tenho desabafos elaborados na cachola que a mente insisti em censura-las e as minhas escritas acabam se perdendo nos "arquivos" da minha falta de memória.






ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):






21 fevereiro 2017

Sobre esse tal de "inferno astral".


Faltam algumas horas, exatamente duas horas, para o meu aniversário de 31 anos. Inexplicavelmente, os trinta e poucos... me assustam mais que os meus 18 anos e o inicio da vida adulta. Talvez porque as mudanças que eu espero para o ano que vem sejam (bem) maiores do que as que eu esperava para o inicio da vida adulta.

Talvez porque finalmente fechei ciclos importantes para o meu futuro profissional. Realizei alguns sonhos: Trabalhar com crianças; O meu TCC foi um projeto de pesquisa sobre Problemas Psicológicos na Migração com os Haitianos na cidade de Florianópolis/SC. Essa pesquisa, tornou-se um grupo de estudos sobre imigrantes e refugiados, o meu campo de estágio foi na Pastoral do Imigrante. Ano passado, eu terminei as sete matérias que faltavam para eu finalmente me formar em Psicologia.

Talvez porque a chegada do meu aniversário mostra que o ano realmente começou (o primeiro mês do ano costuma ser morno...) Os meus 30 anos já foram e eu ainda não sei se isso é bom ou ruim, embora devesse ser bom. Na semana passada: eu chorei; reclamei; briguei... Sei lá, talvez seja só drama ou o tal do inferno astral e o combo foi a pior TPM de todos os tempos!

"Inferno astral, que representa uma fase na qual nossas energias são derrubadas, 30 dias antes do nosso aniversário. Isso acontece porque o Sol, durante o nosso ano astral começa a caminhar através da última casa do nosso mapa astral, que é um lugar difícil de definir por si só. Esse lugar representa nosso inconsciente, as energias que não conseguimos definir e por esta energia ser, de fato, tão confusa, acabamos atraindo situações, pessoas e acontecimentos que esbarram nessa mesma energia. É uma fase em que podemos ficar doentes, sofrer algumas perdas e as situações confusas e indefinidas acabam por ficarem mais próximas.".

Além do mau humor, o meu notebook teve que ir para a manutenção atrasando algumas postagens já programadas: canção de segunda; Projeto 52 semanas; Teve show dos meninos dos Acústicos e Valvulados que renderia um "diário de chalaça" no minimo interessante...
 
Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5

01 fevereiro 2017

03 anos Lado Milla!


Eu nunca consegui responder aquela pergunta cretina “Porque você tem um blog?” Sempre tenho idéia da resposta, mas ela acaba não respondendo o mínimo das minhas próprias indagações. Já tive blog falando sobre musica (falecido Além do underground…) já tive blog para colocar as minhas fotografias (falecido Versos – Monocromáticos) e já tive outro blog pessoal que durou exatamente 06 anos, antes de fazer uma bagunça irreversível que levou ao seu falecimento rs

Há exatamente três anos atrás, eu criei o "Um lado Milla..." esse Blog, veio para abrir um novo ciclo ( e passou por outros ciclos...) escrevi sobre a minha graduação de Psicologia (semestres, estágios e sobre o TCC), quando eu finalmente consegui um emprego de terceirizada e logo depois fui demitida... Além de ser um"blog pessoal" é o meu cantinho na blogosfera para registrar os meus delírios e devaneios com direito há; textos bastante pessoais, algumas crônicas e os meus registros fotográficos. Escrevo também resenhas: livros, filmes e séries.


A blogosfera muda com uma certa freqüência... É verdade, tem neguinho montando blog para se promover “eu sou!” “eu compro!” “eu como!” “eu visto!”. Transformando em parâmetros, regras e convenções que respinga nos blogueiros que assim como eu escolheram montar o blog para falar da própria vida... Um texto bem escrito, uma fotografia no ângulo perfeito, com boa iluminação e sem tantos ruídos e com um conteúdo agradável para agradar primeiro quem escreve e quem é dona do blog… Nesse caso EU! Não estou excluindo os possíveis leitores do meu blog. Sinto-me feliz por cada comentário que recebo aqui, tanto os elogios quanto às criticas. O elogio das fotografias cada vez mais freqüente. O melhor disso tudo é, quando falam um simples “eu me identifico!” essa troca não existiria e não seria tão espontânea se o conteúdo fosse pensado somente em vocês.

Não arrumei nenhuma resposta que me convença o porquê de escrever e de ter criado um blog (do zero!) . Caso eu fosse perguntada, talvez, a resposta fosse essa “- o Blog é a extensão de mim” uma resposta beirando ao clichê mas é bastante convincente.

Quando eu escrevo no blog vejo que eu acabo ultrapassando os meus próprios limites e acabo transformando cada texto banal em algo tão pessoal. É irônico pois, acabo escrevendo mais de mim do que posso suportar lendo. Tenho necessidade de escrever e fotografar para expressar de alguma forma tudo o que sinto e na maioria das vezes eu não consigo falar.



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei tagarelando por lá também (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5


14 dezembro 2016

Show: Alemão Ronaldo.


Sábado, 26 de março de 2016. Em Palhoça/SJ. Depois de um dia ensolarado arriscando um banho de mar na praia da Pinheira onde iria acontecer o show, a noite a temperatura permaneceu a mesma.

Não conheço a "cena cultural" do município de São José quando se trata de cultura & entretenimento... Mas, acredito que não é muito diferente da capital que é uma cidade "complicadinha" para esses eventos.

O show aconteceu na Hambúrgueria Bombah quando eu cheguei no local percebi que aconteceria o 1° Festival do Bombah com outras três bandas locais e só por ultimo o Alemão Ronaldo iria tocar. O Bombah, fica localizado a beira da praia um ambiente legal... Porém, não entramos no Bar carreguei a minha mãe comigo, ficamos sentadas nas mesas do lado de fora, a localização é razoavelmente fácil de chegar.


A imagem que eu tinha do Alemão Ronaldo é ainda do "ministro do desenvolvimento" da Terça do Ministério de um programa de rádio chamado Pijama show (E lá se vão 15 anos...). Ir em um show do Alemão Ronaldo era um daqueles sonhos distantes... Como um dia foi ir em um show dos Acústicos &Valvulados e falar com o Rafa e os "mendigos" e conhecer o Everton Cunha vulgo Mr.Pi (sonhos realizados.)

Quando cheguei o Alemão Ronaldo estava "passando o som..." fiquei admirando de longe e cantando e fazendo a coreografia do "Me leva pra casa". Ele notou que eu tava cantando e deu um xauzinho e eu acenei também, bastante envergonhada... Logo, saiu do palco alegando que iria tomar banho. Mas, voltaria para tocar a noite no festival. 

Ele ficou um tempinho conversando e tirando fotos com um pessoal que estava esperando e acabei seguindo o embalo e pedindo o para tirar um "selfie" mesmo nervosa falei um pouquinho e lhe dei um abraço e logo fui para a plateia assistir o show.


A banda não enrolou muito pra subir ao palco (obrigada por isso!), "A espera" foi na medida certa. Porque tinha outras bandas tocando anteriormente. As musicas do set-list estavam bem variadas, com duas ou três musicas dos últimos álbuns e algumas clássicas do Rock Gaucho como Pinhal da Cidadão Quem, "Sob o céu de blues" Cascaveletes e Não sei do TNT

As musicas do Alemão estão na minha "memória afetiva" então quando tocou "Despedida", "Me leva pra casa", "Desabrigado"...Eu acabei chorando um pouco no show. Pois, essas musicas me lembram boa parte da minha adolescência. Quando eu virava as noites/madrugadas ouvindo rádio escondida e tinha aula cedo no dia seguinte na 6° e 7° série.


A 1° vez que assisto um show eu tenho a sensação que eu nunca mais terei chance de ver aquele show outra vez.... É angustiante! Apesar da angustia sinto uma gratidão enorme por ter conhecido os Caras das vozes aveludadas e roucas com idéias insanas das minhas madrugadas...

04 dezembro 2016

Memórias Natalinas...



As minhas melhores memórias natalinas aconteceram na infância: Eu fazia uma lista dos possíveis presentes que eu gostaria de ganhar no natal (bicicleta, sorveteria da Barbie, Ken, walkman, Discman...); Na escola tinha apresentações com musicas natalinas e as lembrancinhas que eram feitas pelos alunos; Na televisão aconteciam os filmes clássicos e o especial da Xuxa de Natal. 

Hoje em dia, o meu problema não é necessariamente com o Natal... É a tentativa de enfiar o "espírito natalino" pela goela abaixo, ainda no final do mês de Novembro. Nesse mês, as lojas e departamentos com decorações natalinas e para piorar, tocando o CD da Simone no ultimo volume: Então é Natal... Quando eu ainda estou fazendo uns 3ou9 trabalhos da faculdade com o prazo final no ultimo dia do mês de Novembro. Na maioria das vezes o "espírito natalino" vem um pouco tarde... Outras vezes, ele nem vem. Paciência...

O Natal pontualiza os nossos próprios sentimentos. O "milagre natalino" não funciona como um passe de mágica para nos sentirmos melhores... O Natal só te fará feliz se você for Feliz no decorrer do ano.







Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei comentando com vocês sobre o BEFA (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5

03 dezembro 2016

Sobre os 182 dias que restaram...

No inicio do ano, minha mãe comprou um salão de beleza (funcionando...). E me chamou para trabalhar na parte financeira. A equipe de funcionarias nos recebeu com bastante resistência e entramos em um processo longo de adaptação... Eu não consegui "curtir" o fato de estar trabalhando em um negócio próprio sem pensar no stress que é cada pequena mudança. Depois de muito stress resolvemos fechar três meses depois... Estar trabalhando/ estudando andou consumindo a maior parte do meu tempo e energia que eu reservaria para escrever no Blog. Eu escrevo/fotografo como válvulas de escape, para descarregar todos os meus "demônios interiores" e com isso me sentir aliviada das minhas mazelas e mimimi´s diários. No mês de maio verifiquei que escrevi apenas uma postagem sobre uma TAG literária com fotos antigas... Então, assumi o Hiátus com o texto Ensaio Sobre a Canseira  

O segundo semestre desse ano atípico foi bem tranqüilo...

Para me redimir com a Blogosfera.... No mês de agosto eu resolvi participar novamente do BEDA e na primeira semana me juntei a um grupo de meninas para #BEDARJUNTAS o bacana da blogosfera é quando encontramos pessoas que agregam sem diminuir e nem dividir... A blogosfera costuma "quebrar" nesse mês com a quantidade de conteúdo pulando nos Feed´s e as interações funcionam como um incentivo... Os meus leitores do "Lado Milla..." tiveram uma paciência de Jó nesses 31 dias de postagens intensas. #obrigado



Os meus últimos dois semestres (pós TCC) na faculdade foi assim:




PSICOLOGIA DA FAMILIA: Essa foi uma das matérias mais "maçantes" do semestre... A professora não tem uma dinâmica em passar o conteúdo: é o mesmo filme, os mesmos tipos de provas e um genograma que ninguém teve o domínio de fazer...

DIAGNÓSTICO E PROJETOS DE INTERVENÇÃO: Conheço a professora que ministrou essa matéria de outras matérias que fiz ao longo do curso... Essa matéria re resumiu aos meus relatórios de estágio que já estavam prontos.

PSICOPATOLOGIA II: Conheço o professor que ministrou essa matéria de outras matérias que fiz ao longo do curso... A grande surpresa desse semestre foi fazer um trabalho de intervenção com os usuários do CAPSI da minha cidade. A turma inteira se mobilizou e dentro desses vários projetos de intervenção participamos da festa junina.

Os meus planos:
  1. Psicologia 100%
  2. Trabalhar
  3.  + leitura 
  4. + livros
  5. Organização
  6. - ansiedade
  7. - Stress
  8. Fotografar
  9. Dormir cedo
Enfim, férias... A única programação para esses dias é descansar muito! Atualizar as minhas séries favoritas no Netflix e ler os livros que recentemente eu comprei e as outras leituras que acabei atrasando ao longo desse semestre.


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei comentando com vocês sobre o BEFA (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5

14 novembro 2016

Série: Gilmore Girls



A série Gilmore Girls foi criada por Amy Sherman-Palladino e estrelada por Lauren Graham e Alexis Bledel. O seriado foi exibido no Brasil pelo canal Warner Channel na TV paga. A série estreou em 5 de outubro de 2000 e terminou em 15 de Maio de 2007 na sua sétima temporada. A série conta a história do cotidiano da mãe solteira Lorelai Victoria Gilmore (Lauren Graham) e sua filha Lorelai "Rory" Leigh Gilmore (Alexis Bledel) que vivem no pequeno povoado fictício de Stars Hollow, em Connecticut, pequena cidade com personagens bem peculiares e localizada cerca de trinta minutos de Hartford. A série explora diversos assuntos como família, amizades, conflitos geracionais e classes sociais. 
Lembro de assistir Gilmore Girls quando era adolescente, no canal Warner Channel (canal a cabo). eu cheguei a ver alguns episódios aleatórios na época e algumas reprises da série em horários alternativos no mesmo canal. A identificação com essa série foi quase de imediato: A relação mãe e filha, o vicio por café, o habito de sempre ter um livro na bolsa... E foi na mesma época, que eu descobri a minha dificuldade em assistir séries (indisciplina & ansiedade...). Cheguei a pensar na possibilidade de comprar o Box com os DVDs de todas as temporadas da série Gilmore Girls mas, acabei adiando e nunca comprei. 


Até que o Netflix disponibilizou as 07 temporadas da série Gilmore Girls no seu catálogo. Eu pirei com a possibilidade de maratonar(?) saboreando cada gole de café, com hamburguês decorados de Papai Noel... Terminei a 1° temporada de Gilmore Girls com a certeza que aquela era a série da minha vida! A cada episódio, eu me identificava mais com as histórias e com os diálogos rápidos e inteligentes.  Terminei de assistir os últimos episódios da 7° temporada (ontem) fiquei "saboreando" cada episódio... Vi a abertura da série com a musica "Where You Lead" 154 vezes! A letra – uma referência ao livro bíblico de Rute – tem uma força feminina muito marcante, e com a adição de Louise Goffin na regravação de 2005, remeteu ainda mais à dinâmica de Lorelai e Rory. 

As atrizes Lauren Graham e Alexis Blendel e a sintonia de mãe & filha foram perfeitas em todas as temporadas da série. A protagonista Lorelai tem um relacionamento complicado com os pais, sonhos de carreira a realizar e vários dramas na vida amorosa. A relação de amizade e cumplicidade de Lorelai com Rory não afeta o papel de Mãe que precisou ser "firme" com um toque de doçura... Em alguns eventos não muito legais na vida de Rory. 


Na primeira temporada, Rory Gilmore é uma adolescente de 16 anos filha de Lorelai que tem a mãe como amiga e confidente os diálogos entre as duas é mágico. Rory é uma inteligente e antenada adolescente. Estudante de Chilton, pretende se formar em jornalismo em Harvard. Os planos foram mudando ao longo dos episódios e Rory também acabou sendo aceita em Yale e depois da lista de prós/contras acaba preferindo cursar jornalismo em Yale. 

Os relacionamentos amorosos de Rory Gilmore demonstram o amadurecimento da adolescente durante o seriado: 

Dean Forester, Foi o primeiro namorado de Rory um príncipe perfeito que no decorrer dos episódios se transformou em um sapo. O personagem se transformou em um namorado sufocante, ciumento, impulsivo e chato. Apesar do relacionamento imaturo por causa da idade de ambos, eu esperava que a amizade entre Dean e Rory prevalecesse não perdendo assim, o sentido do personagem na série. 

Jess Mariano é o sobrinho de Luke. Foi morar em Stars Hollow contra sua vontade por ter uma vida instável e rebelde em New York. Ele veio para bagunçar o relacionamento de Rory com Dean , ele tem um estilo independente e bad-boy e como Rory, adora ler. Acabou se tornando uma "má influência" para a Rory no inicio. Mas, tornou-se um verdadeiro amigo que fez Rory repensar as suas ultimas atitudes: largou a faculdade de Yale e estava em uma fase rebelde que ela e não estava querendo ouvir ninguém. 

Logan Huntzberger: Conheceu Rory na faculdade. Seu pai é um esnobe jornalista, dono de jornais por todo o EUA. Logan é o bom vivan fazendo parte da associação vida e morte e vivia em baladas e porres acabou influenciando Rory que acabou largando a faculdade de Yale por um período. No final, os dois acabaram amadurecendo Rory volta para a faculdade e Logan começa a trabalhar com seu pai. Logan pediu Rory em casamento no penúltimo capitulo da 07 temporada. Mas, ela não aceitou por ainda não se sentir preparada.

Nesse período que eu estava fazendo maratona de episódios da série Gilmore Girls eu evitava ficar lendo "spoilers" na internet. A cada episódio/temporada que passa a série só melhora, eu adorei a maratona que fiz nesse período de 2 meses. Assim que eu terminei de ver o ultimo episodio da sétima temporada bateu aquele vazio, típica sensação de quem termina uma série. 


O Netflix anunciou a maravilhosidade do revival.“Gilmore Girls: um ano para recordar” é composta de 4 episódios de 90 minutos, com estreia marcada para 25 de novembro. Cada episódio vai retratar uma estação do ano e aparentemente começa com o inverno, durante as festas de fim de ano.


19 setembro 2016

Canção de Segunda: Rock Grande do Sul


Sou de uma geração que ouvia muita musica BOA nas rádios. Na minha adolescência, eu comecei a ouvir muita radio de madrugada e tinha um programa chamado Pijama Show que usava a definição de Rock Gaúcho que é um termo utilizado, primeiramente, para referenciar grupos de rock surgidos no estado do Rio Grande do Sul.

Eu Moro em Florianópolis/SC desde que me conheço por gente. A distância de Florianópolis/SC e Porto Alegre/RS são de 376,16 km (obrigado Google!). É louco pensar que, o que me aproxima eu de SC, com as musicas do RS “é a propagação de uma frente de compressão de onda mecânica, que se propaga de forma circuncêntrica, apenas em meios materiais” que é o som (segundo a física) dos vários rádios de pilha que eu já tive ao longo desses anos...

Essa semana que se passou eu estava numa vibe mais nostálgica. Na minha playlist tocou aquelas músicas que eu passava as madrugadas Ouvindo pampa no walkman...Tchê, aperta o play!

1. Anoiteceu em POA - Engenheiros do Hawaii

Comecei ouvir Engenheiros do Hawaii quando lançaram o primeiro Acustico MTV. Depois disso, fui buscar referências sobre a banda "desconhecida" e não larguei mais. Anoiteceu em POA é atrilha sonora perfeita de um sonho que realizei em  conhecer a cidade de Porto Alegre e ter voltado a cidade algumas vezes...



2. Quintal- Acústicos &Valvulados

Eu sou bastante suspeita em falar sobre os Acústicos... Pois, sempre estou escrevendo um "Diário de chalaça" dos shows com uma certa frequência em Floripa. A musica Quintal remete-me a minha adolecencia quando eu ouvia musica nas madrugadas até ser vencida pelo sono...



3. Não Sei - TNT

Meus pais foram viajar para Passo Fundo/RS e acabaram trazendo um cd da banda TNT que até então eu desconhecia... Achei que era engano, que não se tratava de uma banda gaucha. Porém, quando coloquei o CD para tocar aquele sotaque gaucho de porto alegre do Tchê Gomes invadiu o ambiente e não deixou mais duvidas que se tratava do velho e bom Rock Gaucho.



4. Dia Especial - Cidadão Quem

Comecei a ouvir CQ nas madrugadas... Depois disso, fui buscar referências e encontrei o CD ao vivo gravado no Teatro São Pedro para dowloads ouvi incansavelmente durante uma semana! O Duca Leideker tem um jeito peculiar de escrever/cantar que encanta os ouvidos. A musica Dia especial  é uma dessas musicas lindas que emocionam e é cheia de significados para mim.



5. A Despedida - Alemão Ronaldo

A imagem que eu tinha do Alemão Ronaldo é ainda do "ministro do desenvolvimento" da Terça do Ministério de um programa de rádio chamado Pijama show (E lá se vão 15 anos...). Ir em um show do Alemão Ronaldo era um daqueles sonhos distantes... Fui em um show do Alemão esse ano, até esse escrevi aqui como foi o show.



Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei comentando com vocês sobre o BEDA (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5


06 setembro 2016

6on6 - Tchau Inverno!



Sabe aqueles projetos que juntam 6 blogueiras para registrar 6 fotografias todo dia 6 de cada mês?!? Então, a Nana chamou de DESAFIO Fotográfico ai, a p@#* ficou séria e então resolvi me juntar as ás cinco gurias e participar.

O primeiro Tema é: Tchau, Inverno! 
Confesso que, não gosto muito dessa estação e estou contente que o inverno já está terminando...

Fim de tarde... No verão os "fins de tardes" costumam ser mais fotogênicos adoro fotografar nessa época. Esse registro fotográfico é de 2012 das aulas externas de fotografia.


Romance...  Eu registrei essa imagem do  celular. Não conheço o casal,  achei essa cena tão bonitinha que fotografei.


A Borboleta exibida ... Essa é a primeira fotografia do ano de 2013. Quando eu vi  essa florzinha fiquei preparado a câmera para fotografar. De repente, me apareceu essa "exibida" e ficou ali em cima da flor paradinha se exibindo para a câmera querendo ser fotografada.


 Flor Descabelada... Mesmo eu não sabendo o nome dessa flor, achei muito fotogênica quando encontrei em um Sitio estilo pegue-pague.




Pinha... Essa fotografia saiu toda errada! Quando eu vi no "visor" da câmera verifiquei que: faltou iluminação na pinha, cortei as cabeças das pessoas  no fundo... Porém, eu gostei da composição dos "defeitos" e salvei essa fotografia.


Cerca... A caminho do sitio encontrei essa cerca  e fiquei com vontade de fotografar.



Essas foram as fotos desse mês, to bem empolgada com o projeto e louca pelo próximo dia 6! O que acharam das fotos? Eu adorei! Até a próxima o/

Vai nos blogs das outras participantes ver a visão delas sobre o tema:


Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais.
Estarei comentando com vocês sobre o BEDA (principalmente no Snap!!):
Snapchat: Lmilla5

23 agosto 2016

BEDA #23 E ai, sumida?



— E aí, Sumida?

(Pô, boy, não ferra. Não vê o caos que essa pequena palavra me causa? Eu tava indo bem, sabe? Bebendo minha rotina como se ela fosse um sonífero de qualidade ruim, tentando escapar de qualquer jeito das memórias que cutucam meu corpo cansado. Eu tô cansada de tanto pensar em você. Você não faz ideia, boy, mas tomo overdose tua todas as noites, quando deito a cabeça no travesseiro. Não preciso nem dormir, porque você me vem em sonho de olhos abertos, enquanto fico patética encarando o teto do quarto, imaginando qual teto que te cobre...) 
— E aí, tudo bem?

(Ah, morena, mesmo não movendo nenhuma vírgula para te encontrar precisava te encarar e perguntar o porquê que você saiu tão apática daquela festa... Eu esperava que você ao menos gritasse e esperneasse. Queria saber o que você estava sentindo me vendo com outra... Ops, agora é minha namorada..)
— Tudo certo, senti sua falta. 

(Cínico. Cínico, escroto, idiota, imbecil. Tenho tanta raiva tua, que poderia lançar esse celular na parede. Como assim, cara? Vem me chamar de sumida e dizer que sente minha falta? Se sente minha falta, por que não veio me procurar? Ai como eu sou burra!!! Eu deveria estar rindo de você por sentir minha falta, ao invés de ficar feliz por essas mensagens minimalistas que dizem pouco, mas dizem demais. Odeio você. Isso. Exatamente isso que vou te responder. O-d-e-i-o-v-o-c-ê...)
— Senti tua falta também.

(Ah, morena, nós estávamos nos vendo com certa frequência que confesso já estava me sentindo “sufocado”, mas, depois percebi que a sua presença me faz falta... A culpa é sua! Por ser tão 8 ou 80 e “mimadinha”). 
— E aí, saindo muito?

(Queria te dizer que ando saindo demais, mas a verdade é que ando me escondendo do mundo. Sei lá, boy, estava com medo de esbarrar no teu sorriso e quebrar meu coração de novo... Deu um trabalhão danado colar pedaço por pedaço. Agora meu coração pulsa levemente descoordenado. Meio manco, talvez. Então, sendo bem sincera, eu não ando saindo. Nada. Só vou à padaria, comprar um pedaço de sonho, para tentar adoçar do lado de dentro...)
— Sim, muito. E você?

(Mais ou menos. Tenho feito aqueles mesmos "programinhas de casal". No começo foi gostoso... Ela não sorriu pelo fato do meu quarto ser da cor "azul calcinha" e confessou logo depois que não achou graça... Ah, morena, como você me faz falta: seu sorriso meio torto, sua gargalhada escandalosa e sua forma estranha de falar sobre os seus sentimentos).
— Sim, bastante também.

(Good for you. Deve ser bom ter uma namorada parceira, não é? Como fui besta de acreditar que eu e você naquele quarto era suficiente. A gente tinha um céu só nosso e o mundo poderia acabar com a gente ali dentro que, para mim, tudo estaria bem. Fui inocente em crer que éramos suficientes por sermos só. Mas tudo bem. Vida que segue, não é? Mesmo doendo demais aqui dentro — e que eu não transpareça essa dorzinha miúda — quero que você seja feliz. Enormemente feliz. É isso...)
— Foi bom conversar contigo... Mas preciso ir. 

(Te encontrei passando de carro próximo ao meu bairro. Será que você me viu? Foi rápido, mas, percebi que a sua expressão estava apática... Ah, morena, confesso que" sua ausência em mim fez morada..." li isso em algum lugar.)
— Hei, espera... Tens vindo muito para o "Sul da ilha"?

(Devo confessar? Mudei a rota da minha vida, só para tentar esbarrar na tua. Contei não? Sou levemente masoquista e tento me torturar com memórias que o estômago já enjoou de remoer. Vou sempre para o Sul da Ilha, porque tem muito de nós dois perdido naquelas esquinas e seria insanidade demais permitir que a memória te esqueça...)
— Não... Bem pouco. 

(Quero te encontrar! Quero muito te encontrar. Quero você de novo).
— Ok, a gente se encontra por ai...


#plural é um projeto do blog Palavras e silêncio da M° Fernanda Probst
Postagens mais antigas Página inicial
Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo