19 de outubro de 2018

SEMANA HALLOWEEN: A Bruxinha de Biscuit.


Quando eu era pequenininha do tamanho de um botão minha mãe sempre me contava uma história para dormir. A minha história preferida era: 

A BRUXINHA DE BISCUIT 



    Era uma vez, uma bruxinha que era feita de biscuit... Sua mãe lhe contava que ela foi feita assim por uma grande bruxa (boa) no dia mais feliz da sua vida. 

    A Bruxinha era tão pequenina que cabia na palma da mão: O corpo da bruxinha era de uma cor pálida; O formato do seu rosto era oval; os seus lábios eram finos e mantinham um sorriso que ia de orelha-a-orelha (caso a bruxinha ás tivessem) o sorriso cobria a metade do seu rosto; os seus cabelos eram perfeitamente encaracolados e pretos; os seus olhos negros eram miúdos e sorriam juntos com a sua boca no mesmo compasso. A pose da bruxinha, sentada abraçando as pernas tapavam o seu vestidinho da cor lilás que eram a mesma cor dos seus sapatos, e do seu chapéu de bruxa. 

    No dia em que a Bruxinha estava sendo "modelada" a temperatura da cidade estava maluca! Naquela semana, as 4 estações do ano deram o ar da graça: As folhas caíram das árvores e foi ficando um pouco frio... Assim com acontece no Outono. Foi ficando cada vez mais frio e as noites começaram a ficar mais longas que os dias... Assim com acontece no Inverno. No dia seguinte, o bairro estava todo florido. Com flores de todos os tipos e cores variadas... Assim como acontece na Primavera. E logo em seguida, a Bruxa sentiu um calor tão grande que parecia que o sol beijava a sua pele tão pálida quanto a sua Bruxinha de Biscuit. Assim com acontece no Verão. Fora as chuvas torrenciais que independente se estava fazendo calor/frio a chuva sempre caia...

    Em seus primeiros segundos de vida a Bruxinha de Biscuit era protegida por sua criadora (Mãe). Nos dias quentes, a Bruxinha era mantida na sombra ou em temperatura ambiente. Para que a ela não derretesse, literalmente. Nos dias frios, a mãe mantinha a Bruxinha aquecida para que o seu corpinho não sofresse rachaduras... E assim foi, durante os primeiros 18 anos de vida da Bruxinha. 

    No 19° aniversário da Bruxinha de Biscuit a comemoração seria em um luau. No dia anterior, a MAJU do Jornal Nacional disse que seria uma noite bastante fria... A mãe da Bruxinha fez ela prometer que se manteria aquecida. Mas, naquela noite a sua mãe não poderia continuar protegendo a Bonequinha de Biscuit como tinha feito nesses últimos anos... 

    A Bruxinha de biscuit avistou o menino mais bonito daquele Luau, o menino era de carne e osso estava próximo a uma fogueira as chamas era de uma luz viva sem igual... Ele tocava no violão os versos daquela canção, "[...] Garotos não resistem aos seus mistérios/ Garotos nunca dizem não/Garotos, como eu, sempre tão espertos/Perto de uma mulher, são só garotos.". 

    Quando os olhares do menino e da Bruxinha entrelaçaram--se a Bruxinha sentiu um quentinho no coração as suas mãos começaram a suar tanto que, os seus dedos começaram a derreter e mesmo sorrindo os olhos da Bruxinha começaram a cair algumas lágrimas... Sabendo o que aconteceria caso ela não fosse imediatamente para a casa, a Bruxinha saiu correndo do Luau sem dizer um simples "Oi" para o menino de carne e osso que foi o seu "amor a primeira vista". 

    Quando chegou em casa os seus dedos das mãos tinham derretido e por isso as suas mãos ficaram achatadinhas como um par de luvas... Os seus olhos negros, estavam um pouco ofuscados por causa das lágrimas que rolaram durante o trajeto. A Bruxinha de Biscuit manteve o grande sorriso em seus lábios mesmo com medo do "quentinho do coração" que o amor lhe proporcionou aquela noite.

    [...]


    _ Não tenha medo do amor minha menina... Você não é uma Bruxinha de Biscuit.


    Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 

    16 de outubro de 2018

    Ao mestre com carinho...


    Na época da minha  graduação em Psicologia, os melhores bate-papos aconteciam na cantina da faculdade.  

    Em um desses bate-papos com um amigo conversávamos sobre as pessoas que começam a fazer parte do nosso dia-a-dia com o intuito de repassar o seu conhecimento acadêmico e acabam nos ensinando verdadeiras lições para aplicarmos na vida! Surgiu uma frase nesse momento, que dependendo do contexto que se esta inserida pode parecer grosseira, mas não deixa de ser a pura verdade. A frase foi mais ou menos essa:


    “_Na vida podemos ter muitos professores, mas poucos que pode ser considerados mestres...”

    Nos meus tempos de escola (contando os anos de jardim, pré I e pré II) tenho boas lembranças das tias e tios dessa época, uma “tia” desses tempos eu tenho contato até hoje deve ser engraçado tu conhecer uma criança de 4 anos magrela e cabeluda e décadas mais tarde tu encontrar a mesma guriazinha com 20 poucos anos.... Um mulherão!

    Com os professores do fundamental... Sempre tive uma relação bacana com os meus primeiros professores. A minha professora da 1° série era uma senhora muito doce. Porém, cobrava bastante dos alunos a escrita e uma boa leitura. Foi a primeira pessoa a me ensinar a ter gosto pela arte de escrever e ler. Na época, quando as crianças não liam direito o texto na aula a professora mandava chamar uma criança do pré para ler o mesmo texto. Eu morria de vergonha dessa situação... Eu lia exatamente TUDO que colocavam na minha frente: Gibis da turma da mônica, revistas e livros. Quando tinha exercício de leitura oral em sala de aula eu sempre era elogiada e ganhava estrelinhas de excelente.

    Essa professora também foi a primeira a me apresentar os números e os cálculos, mas poucos professores obtiveram sucesso em colocar algo de calculo na minha cabeça, lembro das contas com o palito de fósforo (passou um filme agora... que coisa mais horrível contar cada um daqueles palitos).

    Na 5° série, Operei a coluna e rodei na 5° série em 1999 estava com 13 anos. Eu estava em uma fase bastante rebelde eu estava usando um gesso enorme em volta da barriga e estava HIPER mimada foi a época do Pretinha eu? Recém operada, o que eu menos queria era ser tratada como uma criança que não tivesse dodói... Sofri bulling dos alunos da minha turma e também dos professores e vivia na sala da coordenação... Não tenho lembranças boas desses profissionais. Infelizmente.

    Na 6° e 7° Série eu tive um professora de português que tinhamos 1x na semana uma aula na biblioteca da escola e tinhamos que escolher um livro (Não gibi) para fazer fichamento que valia nota! A maioria dos livros que li na infância foram dessas aulas (Ainda escreverei um post sobre esses livros...). Essa professora era conhecida como carrasca pelos alunos mas, era um doce quando faziamos os enúmeros trabalhos em sua casa ninguém sai sem o café da tarde... 

    Como uma boa aluna de humanas que sou as minhas matérias preferidas eram:  Português, História e Geografia

    Aos professores do ensino médio... Apesar dos anos terem sido conturbados tenho boas lembranças... Em uma aula de Português a professora colocou a musica “Segundo Sol” cantarolado pelo Nando Reis para a turma ouvir e fazer uma redação, eu não me lembro uma linha do que escrevi... mais essa musica ficou na memória. E uma pessoa que eu não posso deixar de lembrar e ainda hoje ver nos corredores do cruz e Souza/CESUSC e dar um mega abraço é o professor de Química mais querido que eu já tive Marco Dell’antonio ou somente Della mestre dos mestres disparado!

    No ensino superior, o aprendizado foi todo focado para a minha formação que é Psicóloga.

    Nesses 5 anos de faculdade tive os diversos tipos de professores; dos mais queridões, verdadeiros mestres ou como já diria um amigo meu: BAITA PROFISSIONAL! E outros tão profissionais (?) que esquece que simpatia também é exigida no currículo... Mas enfim, a gente lembra é dos verdadeiros mestres que de um jeito ou de outro nos motivam a cada nota, a cada trabalho, levantam a nossa moral para sempre darmos o nosso melhor.

    Desses mestres eu  tenho Muitas saudades ... até da uma pequena vontade de re-ver essas aulas ministradas por esses professores de novo incluindo os estágios e o TCC. Mas como diz o Della, (o mestre citado acima)


    __Em frente sempre! Você ainda vai conhecer vários grandes profissionais... TU MERECES!





    Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 

    14 de outubro de 2018

    Não há nada de novo sob o sol ...

      

    Infelizmente.

    Desde criança ouvia um ditado: "Política, Religião e Futebol não se discutem." Eu nunca entendia o porquê não se discutir tais palavras, até porque não há uma verdade absoluta, nem mesmo para estas palavras, então há sim sempre o que discutir e deve-se discutir para que haja aprimoramento, seja este pessoal ou coletivo. Nunca antes na história dessa minha vida eu ouvi e li tanta guerra e trocação de farpas a respeito de uma eleição.

    As pessoas estavam quietinhas... loucas para arranjarem um motivo para se odiarem. No começo, eu realmente estava acreditando na humanidade quando milhares de Hastags #ELENÃO que subiam na minha timeline em uma velocidade absurda entre os artistas globais (tchau,lei renault!) e viraram eventos em TODAS as cidades do pais. 


    No dia 28 de setembro teve o evento #ELENÃO em frente a Catedral Metropolitana. Eu estava lá! achando que fazia parte daquela manifestação. Parte disso, é saudades das aulas sobre os Movimentos Sociais, ministradas pela Dr. Marcela Gomes em Psicologia Social na faculdade. Eu estava sentada na escadaria da Catedral Metropolitana esperando a minha mãe e avó que estavam em outro evento ouvindo as musicas do Chico e até uma re-leitura da nusica Bela Ciao que ficou famosa na série espanhola La casa de papel ... Quando as primeiras bandeiras do PT começaram a surgir... E até o 'figurinha repetida' vulgo Afrânio Boppré (PSOL) - Deputado Federal destribuindo santinhos...


    Fui percebendo aos poucos, que mesmo sendo Mulher que não votaria no Bolsonaro eu jamais votaria no PT por toda a corrupção e roubalheira que esse partido representa... Fui observando que surgiam mais bandeiras... o auge da minha decepção foi quando surgiu pessoas vestidas com a camiseta do Lula livre ai senti que eu não fazia parte daquela vergonheira e fui embora!

    Quando eu cheguei em casa eu li o post da Luma costa eu acabei percebendo que eu não era a unica que estava se sentido muito burra em ir protestar. Pois, "miraram no #ELENÃO e acertaram no Lula livre".


    No primeiro turno, eu não escrevi nada no facebook... Nem sobre a vergonheira do "Movimento #ELENÃO" passei ilesa dos avatares politizados, vídeos de um, vídeos de outro, campanha dissimulada e discurso de ódio. Aí então a guerra começou no segundo turno e foi só chegarmos e em uma até então, desconhecida batalha Jair Messias Bolsonaro+PT que o troço pegou fogo e tá indo bomba pra tudo quanto é lado.


    _VOCÊS TEM O DEVER DEMOCRÁTICO EM VOTAR NO FERNANDO HADDAD, PELA DEMOCRACIA! 

    _ TEU CÚ.

    A maioria das pessoas que eu conheço não confiam em nenhum dos dois e vai votar no que acha menos pior. Algumas pessoas (pasmém!) continuam colocando a mão no fogo pelo PT e vão se queimar bem feio. Uma idolatria CEGA por um partido corrupto que me faz pensar que somos pessoas tão corruptas quanto os nossos governantes... Como podia estar todo mundo arretado com o governo e de repente defender apaixonadamente a presidente dele? Não entendo. Não entendo essa paixão avassaladora de nenhum dos dois lados. Eles não valem nossa sanidade mental.

    Quando eu vi os primeiros avatares do PT e pessoas discurssando no seu feed o porque que votariam nesse partido... Eu comecei a perguntar um a um É SÉRIO ISSO? Coloquei o avatar PT NÃO


    Então, os primeiros discursos de ódio começaram a chegar até a minha pessoa... 

    No início, me preocupei horrores, qual a necessidade de desfazer amizades, bloquear e até duvidarem da qualidade do meu TCC sobre Problemas Psicológicos na Migração com os Haitianos na cidade de Florianópolis/SC. Em dois anos de estagio, eu nunca ouvi nenhum governante (independente do partido politico) falando da quantidade exacerbada de Imigrantes que vem de diferente formas aqui para o Brasil... Politicos que enxerguem o imigrante como sujeito de direitos. Não apenas pessoas que devem ir embora o mais rápido possivel do seu pais...

    Sobre as pessoas que me deram unfollow no facebook:


    - O Amigo Musico que é bastante conhecido aqui da minha cidade me deu unfollow no facebook. Engraçado, pois sempre me convidava bastante para as baladinhas que ele seria DJ. Mas não aceitou a minha opinião que era contraria a dele... (Obrigado, vou economizar o dinheiro do ingresso...).

    - A Amiga Blogueira também me deu unfollow no facebook. Devo confessar que fiquei bastante chateada... Pois, conversávamos com frequência e estou pensando seriamente; se seguirei novamente no meu perfil pessoal no facebook. 


    Se eu pudesse dar um conselho... Leia sobre os dois canditados. Faça uma pesquisa detalhada sobre a história dos dois partidos e seus governantes... Procure não se envolver em discussão e baixaria. Nem na internet, nem com as pessoas do seu convivio social... LEIA UM LIVRO DE HISTÓRIA! Antes de acusar os seus amigos, familiares e conhecidos de facistas e outras atrocidades ... E mais um conselho - Por favor! Votem conciente - Parem de tacar pedras na escolha do outro, falar mal do candidato do outro, chamar de imbecil quem vota no outro e coisas do tipo. De um modo ou de outro, estamos em uma democracia. O dia 28 vai chegar, vamos votar, as urnas vão nomear um ~Vencedor~, o povo vai xingar mais uma semana e uns 10 dias depois o facebook vai retornar com o feed de crianças e gatinhos... Oremos!

    - Nesse texto você leu que: Eu acabei tomando partido... Não acredito ser o melhor o salvador da pátria... Mas, eu me recuso a votar no PT

    - Nesse texto você leu que: Estou de saco cheio dos discursos de ódio e trocação de farpas nas redes sociais.

    - Nesse texto você NÃO leu que: Estou defendendo o Jair Messias Bolsonaro. Sou uma mulher, bastante decepcionada com o partido dos trabalhadores e toda a nojeira que ele representa.

    - Portanto: Se vier discursar contra ou a favor de um ou de outro na minha caixa de comentários eu vou mandar passear, vou logo avisando. Se na rede social tem democracia, aqui quem manda sou eu e não quero saber de politicagem no meu canto. 

    Obrigada.


    Ah, não deixe de me acompanhar nas Redes Sociais. 




    © Lado Milla
    Maira Gall